São PAULO, 6 nov (Reuters) – O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, lamentou no sábado que a petroleira estatal Petrobras estabeleça os preços internos do combustível independentemente da interferência do governo e reiterou seu desejo de privatizar a empresa.

“Sabemos da inflação, o aumento dos preços dos combustíveis. Sabemos da Petrobras. A empresa é, infelizmente, independente, independente. E estamos procurando uma maneira de nos libertar da Petrobras”, disse ele em declarações públicas depois de participar de um evento de motociclistas no Estado do Sul do Paraná.

No entanto, acrescentou que privatizar o Petróleo Brasileiro SA, como a empresa é formalmente conhecida, seria difícil dada a complexidade política e o processo burocrático que exigiria tal medida.

O aumento dos preços dos combustíveis enfureceu os brasileiros nos últimos meses e se tornou uma dor de cabeça para Bolsonaro, que buscará a reeleição em 2022. Os investidores, nervosos com o governo intervindo e forçando a Petrobras a reduzir os preços, estão observando Bolsonaro de perto.

Desde 2018, A Petrobras disse que fixa os preços internos dos combustíveis em linha com os preços internacionais. Essa política tem protegido a empresa da necessidade de subsidiar brasileiros, mas tem se mostrado politicamente controversa.

(Relatório de Roberto Samora; escrito por Gram Slattery. Editado em espanhol por Rodrigo Charme)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.