A Agência Reguladora de Medicamentos do Reino Unido (MHRA) aprovou nesta quinta-feira o primeiro medicamento oral projetado para tratar a covid-19 sintomática.

Molnupiravir pode ser administrado duas vezes por dia a doentes que tenham sido submetidos a um teste positivo e que apresentem pelo menos um factor de risco para o desenvolvimento da doença grave.

Originalmente desenvolvido para tratar a gripe, reduziu o risco de hospitalizações e mortes pela metade durante os ensaios clínicos.

O ministro britânico da Saúde, Sajid Javid, disse que o tratamento é “revolucionário” para os mais vulneráveis e imunodeprimidos.

Primeiro tratamento oral
Molnupiravir foi projetado pelas farmacêuticas americanas Merck, Sharp e Dohme e Ridgeback Biotherapeutics.

Este é o primeiro medicamento antiviral oral para covid-19.

A pílula ataca a enzima que usa o vírus para se replicar e, assim, introduz erros em seu código genético.Esta ação evitaria sua multiplicação, mantendo baixa a carga viral e reduzindo a gravidade da doença.

Merck disse que esse mecanismo deve tornar o tratamento tão eficaz diante de novas variantes do vírus que possam surgir.

A MHRA anunciou que o comprimido foi autorizado para uso em pessoas com sintomatologia leve a moderada e com pelo menos um fator de risco associado a maior gravidade da síndrome, como obesidade, idade avançada, diabetes e padecimento coronário.

A diretora executiva da agência, Dra. June Raine, descreveu-o como “outra terapia a acrescentar à nossa armadura contra a covid-19”.

“É o primeiro antiviral no mundo a ser aprovado para esta doença e que pode ser tomado oralmente em vez de administrado por via intravenosa”, acrescentou.

Poderá assim ser tomada em casa ou fora do hospital, antes que a doença evolua para um estado mais grave.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.